Dente-de-leão



Ao redor da casa

o vento balança

sem perdão

os galhos das árvores

quase secas.

O outono sempre chega

sempre chega.

No cabelo crespo

a semente voadora

do dente-de-leão

encontra pouso

no branco inevitável

dos primeiros fios.

Não se foge do outono

não se foge.

Ele chega embalado

pelo canto dela

entre ritmos e palavras

de quem ainda espera as flores

da próxima primavera.

Numa língua tão dura

e bonita, ela sussura

para a ventania,

em doces versos de paz.

Dandelion

don’t tell no lies

Dandelion

will make you wise.

4 visualizações

Boas vindas!

Por aqui você encontra um pouco da minha produção como escritora, especialmente contos, poemas e crônicas. Gostou? Compartilhe com outras pessoas.

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest