Papel passado


Quem sabe

se o teu relógio

se acertar ao meu

Quem sabe

se a tua vida

se acertar a minha

O tempo

tão implacável

pode ser amigo, pode ser irmão

Quem sabe

haja muitos caminhos

falta apenas ampliar a visão

E acertar os relógios

acertar a vida

que passa por mim e por você

Nem precisa atestado

porque viver, eu sei

não requer papel passado.



*Poema publicado originalmente pela Revista Eletrônica Ruído Manifesto, em 02/11/2019. http://ruidomanifesto.org/tres-poemas-de-larissa-campos/

*Poema publicado na edição especial da Revista Pixé em homenagem à Revista Eletrônica Ruído Manifesto. Leia a edição completa abaixo:


Revista Pixé Especial Ruído Manifesto
.pd
Download PD • 30.86MB


3 visualizações

Boas vindas!

Por aqui você encontra um pouco da minha produção como escritora, especialmente contos, poemas e crônicas. Gostou? Compartilhe com outras pessoas.

Fique por dentro de todos os posts

Obrigado por assinar!

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Pinterest